Pages Menu
TwitterFacebook
Categories Menu

Escrito por em 27.ago.2014 em Blog | 0 comentários

A Opera de Paris e o Fantasma …

101-48_cmjn

Muitos conhecem a lenda do Fantasma da Opera, mas de onde vem esta história parisiense e quem foi este famoso personagem, cujo camarote de número 5 ainda existe? Tudo começou em outubro de 1873, com a trágica história de um jovem pianista que teve o rosto queimado durante um incêndio no conservatório onde trabalhava. Neste mesmo dia, sua noiva e bailarina do conservatório, morreu durante o incêndio. Inconsolável e desfigurado, o pianista buscou refúgio no subsolo da Opera de Paris que estava sendo construída. Dizem que Ernest, permaneceu na Opera Garnier até sua morte e que morava perto do lago subterrâneo, localizado sob a Opera, e que serviria como uma reserva de água em caso de incêndio. Ernest dedicou o resto de sua vida à sua arte e a conclusão de sua obra, um hino ao amor e a morte. Dizem também que ele morreu nas passagens subterrâneas e como seu corpo nunca foi encontrado, acredita-se que pode ter sido misturado com os corpos dos revolucionários de Paris.

Mas a história começou a ficar conhecida em 1910, quando o escritor Gaston Leroux, se baseou na lenda e em alguns eventos intrigantes, para escrever o “Fantasma da Opera”. O trecho abaixo está escrito no prefácio da obra:

– “recentemente, durante escavações no porão da Opera de Paris, foi encontrado um cadáver, então agora eu tenho a prova que este corpo é do Fantasma da Opera. Pedi ao administrador da Opera para examinar esta prova e então agora para mim não tem importância que os jornais digam que era apenas mais uma vítima da revolução”.

A lenda ficou famosa no mundo todo por causa do livro de Gaston Leroux que conta o caso de um homem misterioso que morou nos subterrâneos  da Opera de Paris, portanto longe de ter inventado a história, o autor buscou inspiração em eventos inexplicáveis que foram atribuídos a Ernest, tais como:

– Em maio de 1896 o grande lustre da platéia da Opera caiu e matou um espectador durante a apresentação de Fausto de Gounod. Diz a lenda que a vítima ocupava o assento  13. Depois disso, uma série de fenômenos estranhos parecem dar veracidade à teoria de que existe um fantasma na Opera Garnier: o corpo de um funcionário foi encontrado enforcado, porém a corda havia desapreciado e pouco depois, uma dançarina morreu ao cair de uma galeria. Ainda mais estranho é o caso de uma jovem cantora soprano ter contado que conheceu alguém que dizia ser o Anjo da Música e que lhe deu aulas de canto. Com medo do estranho comportamento dele e de seu amor platônico a jovem acabou se afastando da Opera. Outro caso curioso foi o fato do administrador da Opera sempre atender a solicitação de um cliente que exigia em todas as apresentações uma reserva exclusiva do camarote 5, que ainda hoje pode ser visto na Opera de Paris.

Verdade ou lenda … o que você acha?! Há pessoas que ao visitarem o camarote 5, sentem um estranho arrepio. Bem, seja o que for, o romance “O Fantasma da Opera ” é muito bonito e envolvente.

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *