Pages Menu
TwitterFacebook
Categories Menu

Escrito por em 21.maio.2014 em Blog | 0 comentários

Conheça os vinhos da França

vinho

Assim como o Pão, o vinho também está inserido no cotidiano do francês. Motivo de orgulho e prestigio internacional, seus vinhedos são a expressão máxima da qualidade, onde o terroir (combinação de solo, clima e planta) é gritante e fundamental. Os diferentes tipos de vinhos em pequenos espaços de terrenos, são marcantes. Existem na França vinhos excepcionais e também grandes vinhos que devem ser bebidos sem grandes preocupações. A primeira preocupação de um enófilo que está prestes a conhecer os vinhos da França é saber diferenciar os vinhos, já que existem dezenas de denominações de origem e comunas com nomes de vinhedos.

Para facilitar a identificação dos vinhos os franceses criaram algumas especificações encontradas nos rótulos da bebida. Conheça abaixo:

•Vin de Table (vinho de mesa): Vinho comum, feito sem muitos cuidados, não são muito expressivos e possuem baixo custo beneficio.

•Vin de pays (vinhos de região): Vinho comum, também conhecido como vinho ordinário, teve seu nome modificado devido ao significado da palavra ordinário em outras línguas como o Português.

•Vin délimité de qualité supérieure- VDQS (Vinhos Delimitados de Qualidade Superior): Nesta categoria temos vinhos realmente respeitáveis, de qualidade superior, que deverão seguir os mesmos critérios de um AOC, mas terão que passar por uma degustação técnica rigorosa. Pode ser considerada uma categoria de transição, pois normalmente os VDQS aguardam a regulamentação para AOC. Esta categoria representa uma pequena parte da produção francesa.

•Appellation d’origine contrôlée- AOC (Vinhos de designação de origem controlada): Nesta categoria estão os vinhos cujas qualidades são superiores aos anteriores, mas que nem sempre é garantia de boa qualidade, existe um controle mais rigoroso, e o vinho tem que ser dá zona especificada no rótulo e também obedecer a algumas especificações que estão na legislação especifica de cada região, como por exemplo: limite de produção por hectare, quais as uvas que podem ser cultivadas, os métodos de vinificação.

Em sua próxima viagem a Paris, deixe-se ficar num dos muitos e barulhentos bistrôts da cidade simplesmente para ver a vida passar tomando um bom copo de vinho!

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *